“ ” História Eventos Notícias Contato Rua do Carro, S/N - Nazaré              CEP.: 40.040-420 - Salvador/Ba               www.salvesantana.org.br             secretaria@salvesantana.org.br
JUBILEU EXTRAORDINÁRIO DA MISERICÓRDIA Proclamação 11 de abril de 2015 – Papa Francisco convoca a Igreja do mundo todo para um Ano Jubilar Extraordinário dedicado à Misericórdia através da Bula de Proclamação intitulada “Misericordiae Vultus”, “O Rosto da Misericórdia” O Ano Santo teve início no dia 8 de dezembro de 2015 com a abertura da “Porta  Santa” na Basílica de São Pedro, Solenidade da Imaculada Conceição, coincidindo  com os 50 anos do encerramento do Concílio Ecumênico Vaticano II,  “encorajando  a Igreja a prosseguir a obra iniciada” e se concluirá no dia 20 de novembro de 2016 ,  Solenidade litúrgica de Jesus Cristo, Rei do Universo. “Será uma Porta da  Misericórdia”, disse o Papa Francisco.   No domingo seguinte (terceiro do Advento, abriu-se a porta Santa na Catedral de  Roma, a Basílica de São João de Latrão. Em seguida foram abertas as Portas Santas  nas outras Basílicas Papais e no mesmo Domingo, em cada Igreja Particular, na  Catedral (ou então numa Igreja de significado especial)                                                                                         Porta Santa na Catedral de Roma                                             Antes de abrir a Porta Santa o Papa Francisco se confessa                                             Papa Francisco procede oficialmente à abertura da Porta    Papa Francisco  abre a Porta Santa - O Papa Emérito Bento XVI foi o segundo a    atravessar.    HOMILIA DO PAPA FRANCISCO POR OCASIÃO DA ABERTURA DA PORTA SANTA    CLIQUE AQUI ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Na Arquidiocese de Salvador deu-se início a esse Jubileu Extraordinário com a  abertura da Porta Santa por Dom Murilo Kriegger no dia 13 de dezembro, às 16h. na  Basílica do Senhor do Bomfim, Mansão da Misericórdia.    Altar externo preparado para a cerimônia            Muita gente em frente à Igreja    Povo na praça                      Imagem do Senhor do Bomfim no altar externo -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------                                                    ALGUNS ESCLARECIMENTOS Por que” Bula” Bula, na Igreja Católica Apostólica Romana, é uma carta especial ou documento  relativo a matéria de fé ou a questões gerais e que possui o selo do Papa. É um  documento, lacrado com pequena bola (em latim, "bulla") de cera ou metal, em geral,  chumbo.  O que é um Ano Santo ou Jubileu Extraordinário? Na tradição católica, o Jubileu é o ano que a Igreja proclama para que as pessoas se  convertam em seu interior e se reconciliem com Deus, por meio da penitência, da  oração, da caridade, dos sacramentos e da peregrinação, “porque a vida é uma  peregrinação e o homem é um peregrino” (MV 14). Em todos os anos santos é  possível ganhar indulgências, graças especiais que a Igreja concede e que podem  ser aplicadas à remissão dos próprios pecados e suas penas, ou também aos  defuntos que estão no purgatório. O lema deste Ano Santo é “Misericordiosos como  o Pai”, e a principal intercessora do Jubileu é Nossa Senhora de Guadalupe, Mãe de  misericórdia. A cada 25 anos, a Igreja celebra um Ano Santo Ordinário. O próximo  será em 2025. Fora dos anos santos ordinários, a celebração do Ano Santo é  “extraordinária”.  Por que o Papa Francisco proclamou esse Jubileu? “Há momentos em que somos chamados, de maneira ainda mais intensa, a fixar o  olhar na misericórdia, para nos tornarmos nós mesmos sinal eficaz do agir do Pai.   Foi por isso que proclamei um Jubileu Extraordinário da Misericórdia como tempo  favorável para a Igreja, a fim de se tornar mais forte e eficaz o testemunho dos  crentes.” (MV,3) Por que Porta Santa? A Porta Santa só se abre durante um Ano Santo e significa que se abre um caminho  extraordinário para a salvação.  Na cerimônia de abertura o Papa toca a porta com um martelo três vezes enquanto  diz: “Aperite mihi leva justitiae, ingressus in eas confitebor Domino”, que significa  “Abram-me as portas da justiça: entrando por elas confessarei ao Senhor.” Depois  de aberta, entoa-se o Te Deum e o Papa atravessa essa porta com os seus  colaboradores. Logo após o Papa, o segundo a atravessar a Porta Santa foi o Papa  Emérito Bento XVI.  O que o Papa pede que façamos? O Papa Francisco insiste na iniciativa “24 horas para o Senhor” , que deseja que  seja celebrada em toda a Igreja  entre a sexta-feira e o sábado antes do 4º domingo  da Quaresma, porque “é expressão desta necessidade da oração”. Além disso, ele  aconselha que pratiquemos as obras de misericórdia, além de viver intensamente a  oração, o jejum e a caridade na Quaresma (MV 17); também recomenda que nos  confessemos, para poder receber melhor as graças do ano jubilar. E que cada um  realize uma peregrinação, de acordo com suas capacidades, para atravessar a Porta  Santa. É preciso ir a Roma para atravessar a Porta Santa e ganhar indulgências? Não. Você pode ir à catedral da sua diocese ou às igrejas e basílicas destinadas a  isso. Em cada diocese haverá uma Porta Santa e, cruzando-a, você ganhará as  indulgências do Ano Santo (quando a peregrinação for acompanhada de confissão,  comunhão no dia da peregrinação, um ato de fé – recitação do Credo – e uma oração  pelo Papa).  O que são as obras de misericórdia? Existem 14 obras de misericórdia, sete espirituais e sete corporais. Clique abaixo e veja o vídeo VÍDEO OBRAS DE MISERICÓRDIA (Clélia Moraes) Ao recordar o seu pedido para que “a Igreja redescubra neste tempo jubilar a  riqueza contida nas obras de misericórdia corporais e espirituais”, o Papa recordou  que a experiência da misericórdia torna-se visível no testemunho de sinais  concretos como o próprio Jesus nos ensinou”.  Peregrinação Para viver e obter a indulgência, os fiéis são chamados a realizar uma breve  peregrinação rumo à Porta Santa, aberta em cada Catedral ou nas igrejas  estabelecidas pelo Bispo diocesano, e nas quatro Basílicas Papais em Roma, como  sinal do profundo desejo de verdadeira conversão.  “Estabeleço, igualmente, que se possa obter a indulgência nos Santuários onde se  abrir a Porta da Misericórdia e nas igrejas que tradicionalmente são identificadas  como Jubilares.  “É importante que este momento esteja unido, em primeiro lugar,  ao Sacramento da Reconciliação e à celebração da santa Eucaristia,  com uma  reflexão sobre a misericórdia”, recordou o Papa .  “Será necessário acompanhar estas celebrações com a profissão de fé e com a  oração por mim e pelas intenções que trago no coração para o bem da Igreja e do  mundo inteiro”, acrescentou Francisco.  O que são as indulgências?  De acordo com o Catecismo da Igreja Católica, são a "remissão, perante Deus, da  pena temporal devida aos pecados cuja culpa já foi apagada; remissão que o fiel  devidamente disposto obtém em certas e determinadas condições pela ação da  Igreja que, enquanto dispensadora da redenção, distribui e aplica, por sua  autoridade, o tesouro das satisfações de Cristo e dos Santos" (n. 1471). Qualquer uma das 14 obras de misericórdia, durante este Ano Santo também podem  nos conceder uma indulgência plenária.  Conheça mais sobre as indulgências no Ano da Misericórdia http://cnpf.org.br/noticias/1069-2016-02-04-14-48-51 Formas de ganhar indulgências - clique aqui Durante o Ano Santo as leituras para todos os domingos do Tempo Comum serão  retiradas do Evangelho de São Lucas, que é conhecido como o “evangelista da  misericórdia”.  RITO DE PASSAGEM PELA PORTA DA MISERICÓRDIA A passagem através da Porta da Misericórdia é um sinal visível de uma renovação interior, que tem como ponto de partida colocar-se em paz com Deus e reconciliar-se com os irmãos. Atitudes ou gestos que devem ser realizados diante da Porta: Com reverência, respeito e contrição pode-se inclinar a cabeça ou ajoelhar-se.  Passando pela porta, pode-se beija-la ou tocá-la com uma das mãos,reconhecendo  que Jesus é a Porta que conduz ao Pai, externando o desejo de conversão e  reconciliação com os irmãos.  Após o rito de passagem, deve-se rezar um Pai Nosso e uma Ave Maria pelas  intenções do Papa Francisco.  Nessa ocasião, ou em outro momento, deve-se comprometer a: Fazer uma confissão individual, uma leitura orante da Sagrada Escritura, o exercício  da Via Sacra. Receber a Sagrada Eucaristia e realizar um momento de adoraçãoao Santíssimo  Sacramento.  Rezar o Terço de Nossa Senhora, na Igreja ou na família. PORTA SANTA SANTUÁRIO DO BOMFIM - RITO DE PASSAGEM VEJA O VÍDEO Para acessar a íntegra da Bula de Proclamação “Misericordiae Vultus” CLIQUE AQUI